Obras de arte também se seguram!

As obras de arte poderão ser de valor incalculável e estão sujeitas aos mais variados riscos; entre eles destacamos: incêndio, roubo, danos por água, manipulação errada, avarias no seu transporte ou até uma possível depreciação comercial resultante de danos sofridos. As seguradoras assumem um papel importantíssimo na sua existência; os seus proprietários transferem os riscos a que estão expostas para as companhias que em troca cobram o valor de risco calculado por atuários.